Filhoses de Abóbora

Ingredientes

  • 800 g de abóbora menina
  • 50 ml de leite
  • 1 mão cheia de açúcar
  • 3 ovos pequenos
  • 1/2 pacote de fermento de padeiro seco
  • 1/2 laranja (sumo e raspa)
  • 1 pitada de aguardente
  • +/- 300 g de farinha de trigo
  • 1 L de óleo
  • Açúcar q.b.
  • Canela q.b.
  • Sal q.b.

Preparação

  1. Descasque e tires as sementes à abóbora. Corte-a aos bocados e coloque-a numa panela com água e sal e deixe cozer.
  2. Escorra e desfaça a abóbora com um garfo. Volte a deixar escorrer a abóbora com a ajuda de um passador grande.
  3. Com a varinha mágica, desfaça a abóbora em puré, e mais uma vez deixe escorrer a água.
  4. Junte o leite, o açúcar, os ovos e bata bem (talvez com uma colher seja melhor para não sujar muito a cozinha =D).
  5. Adicione a farinha, o fermento, a raspa e sumo da laranja e a aguardente e volte a bater bem. É normal a massa ficar mole… mas se estiver muito mole adicione um pouco mais de farinha.
  6. Tape a massa e deixe levedar num sitio quentinho. Eu costumo aquecer o forno aos 40ºC, DESLIGO, e depois coloco lá a massa com a porta entreaberta… 1 hora é suficiente. A massa tem de ficar rendada… com buraquinhos.
  7. Aqueça o óleo… eu deixo aquecer na placa no nº6.
  8. Prepare dois tabuleiros com bastante papel absorvente e uma taça com açúcar e canela.
  9. Para testar o óleo eu costumo fazer uma filhós primeiro, para ter a certeza que está quente o suficiente. A partir daí, com uma colher coloco “bolinhas” de massa PEQUENAS a fritar.
  10. Quando estão douradas, mas não muito, viro-as.
  11. Quando ambos os lados estão da mesma cor, coloco-as num dos tabuleiros e deixo-as lá enquanto volto a pôr mais umas “bolinhas” a fritar.
  12. Só depois passo-as pelo açúcar/canela e então disponho-as no outro tabuleiro.

Não sobreponha as filhoses. O meu objetivo aqui, é que elas percam a maior parte do óleo no primeiro tabuleiro (convém ir trocando o papel absorvente) e depois perca o restante no outro tabuleiro. Sobrepor as filhoses não permite a absorção.

Fonte original com todos os direitos reservados: Desastresculinários